La Casa De Papel Parte 1 e 2

La casa de papel… ou em inglês Money Heist. Como assim Netflix?

Para quem não sabe eu tive um sério e grave problema com esta série, vi 11 episódios seguidos na primeira parte, e a segunda toda numa noite… não tenho sequer vergonha disso.

A série é espectacular e digo-vos que desde Lost, eu não colava tanto numa série como esta. Cada episódio terminava e deixa-me com aquele sentimento de ter que ver outro, ao ponto que, como disse em cima, vi 11 seguidos. Para quem gostar de heist movies (filmes de assaltos), vão adorar esta série e vão ver esta série como se estivessem a comer pipocas no cinema.

Tudo o que vocês possam ter ouvido falar sobre esta serie, é verdade, e provavelmente é ainda melhor do que vos contaram.

02Na série seguimos um grupo de 9 indivíduos que vão assaltar a casa de papel espanhola, em Madrid. A premissa é simples e se vocês já vieram um “Ocean’s Eleven” ou um “Oceans Twelve“, vocês já sabem como é que a coisa se desenrola e é aqui que acho que a maior diferença está, pois ganhamos muito mais num formato série do que em um filme neste tipo de história. Com duas temporadas na Netflix, conseguimos ter um desenvolvimento das personagens muito superior especialmente como isto foi feito. Vamos dividir isto então em três partes.

A primeira parte são os meses que eles treinaram para planear o assalto, já a segunda, o assalto propriamente dito e na terceira temos ainda uma divisão entre o que se passa dentro da casa de papel, e fora.

01

Estes três blocos de história estão super bem integrados e bem colocados na história e deixa-nos sempre a querer saber mais. De tal forma que a primeira parte termina e só sabemos o nome de três… visto que eles entre sim tratam-se por nomes de cidades.

Desta forma não sabemos o nome de ninguém e mesmo nós enquanto espectadores, só sabemos quando eles dentro da série sabem, o que nos deixa sempre intrigados sobre tudo sobre eles.

Outra coisa bastante positiva nesta série, são as interacções entre os assaltantes e os reféns, interações essas que colocam nos a dúvida de quem é pior. Pois existem circunstancias em que os “maus” são mais humanos que os reféns, e essa dualidade é óptima para que todos os actores possam ter espaço para brilhar.

Já que enquanto vamos adorar alguns dos ladrões, vamos acabar por odiar alguns dos reféns(Sim Artur, estou a olhar para ti), e la esta, Espanha esta de parabéns com esta serie.

No geral, é uma série super bem escrita, construída com cabeça tronco e membros e contaram a história que queriam contar de forma capaz. Existe possibilidade para uma próxima temporada. Mas se não o fizerem, é perfeito como está. Uma vez mais, vejam La Casa de Papel, é um muito bom tempo “perdido”. Bons actores, boa história, bom trabalho  em toda a produção, e no geral uma das melhores séries que presumo que saiam este ano.

 


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *