Ja faz uns meses que a Marvel lançou o filme “Vingadores: Guerra do Infinito”, e é sempre bom afirmar que este filme foi sem duvida uma das melhores produções da Marvel até ao momento.  

Mas uma das coisas que sobressai logo em toda longa metragem é de facto o vilão, aliás toda a Marvel está de parabéns, já que esta não é só uma adaptação de um personagem, mas sim uma evolução tremenda. No artigo de hoje quero então falar disto mesmo, do processo de adaptação deste magnífico personagem.

O Antigo

Eu sou lindo!

Quero começar então por introduzir como era de facto este personagem no mundo da Banda desenhada.

Thanos é várias vezes descrito como um personagem bastante poderoso e bem orgulhoso de sim mesmo, no entanto ele demonstra varias vezes problemas de insanidade devido a ter sido rejeitado pelo universo devido a sua aparência.  (Caso queiram algo mais detalhado do Thanos, recomendo que vejam o video do Adriano no Canal Cabo Cinético)

Já falando nas suas origens, no mundo da “Banda Desenhada” ele vive numa lua juntamente com a suas espécie, sendo ele um dos filhos do Rei Tita Mentor.  Apesar de ter tudo o que queria, Thanos algemava conquistar o Trono que era do seu pai e foi com estas convicções que ele se vira contra toda sua família e decidi conquistar então o seu paraíso a Lua “Tita”.

Logo depois deste acontecimento ele aventura-se então pelo o resto da galáxia numa tentativa de destruir o universo inteiro.

É importante falar que as joias do infinito ainda não eram do conhecimento de Thanos, mas mesmo quando elas são inseridas na história esta continua a ser a ambição deste Titã, ou seja a destruição de todo o universo.

Convém ainda ressaltar, que parte desse ódio devem também de uma relação que ele teve o a personificação da Morte.

Versão Cinematográfica

Palmira dos deuses!

Já na versão cinematográfica este personagem podemos dizer que ele é completamente diferente do que eu já referi.  Aliás ele é muito mais complexo, e podemos mesmo admitir que é um personagem mais humanizado, além haver também muita mais facilidade em entender as suas decisões.

A primeira diferença então deste personagem para o Original são as suas convicções, já que em vez de ele buscar poder para a destruição, busca-o para combater a extinção do universo. Eu sei que a forma como estou a descrever quase que um torna um personagem bondoso, mas posso admitir que a forma como ele quer chegar a esse objetivo é bastante cruel.

Outra diferença na história deste personagem para o original é a forma como a Lua Tita chegou a ruína, já que neste universo Thanos é o único Tita vivo, tendo a sua espécie completamente extinta devido a um problema bastante comum, a sobrepopulação.

Basicamente tinha chegado a ponto em que a espécie já não tinha mais recursos para se sustentar, e foi com este acontecimento que Thanos decide que deveria reduzir a população do universo pela metade.  

Existe ainda uma coisa neste Thanos que sem dúvida lhe entrega um sentimento único, compaixão. Independentemente de todas decisões de Thanos, é quase impossível não sentirmos o que ele está a sentir, como por exemplo no momento em que ele decide contar a sua história ao Tony Stark ou até o momento em que ele sacrifica a Glamora, a filha que ele amava em troca da jóia da alma.

Conclusão

É impossível explicar o quanto este personagem é brutal, este vilão não é simplesmente  um vilão, mas o VILÃO, com V MAIÚSCULO, tem motivos, tem sentimentos, é humano. Posso mesmo dizer que é dos melhores vilões que já vi, e admito que a empatia era tanta que eu quase torcia pelo vilão.

Por isso entrego os meus parabéns aos Guionistas Christopher Markus e Stephen McFelly, que fizeram magia com este personagem


Artigo Exclusivo, e facultado pelo Sem Bilhete 

Nota que em qualquer altura poderá haver um video sobre o tema, e caso exista será actualizado o artigo com o video.
Author

Criador do Projecto "Sem Bilhete", fanático pelo audio-visual e apaixonado por Animação. Desde muito cedo tenho uma ligação forte com este meio, pois cresci em volta dos filmes que passavam na televisão. Além disso sou também um fã de tecnologia e um coleccionador de VHS.

Comments are closed.