Ainda faltam alguns meses até ao regresso de O Mandalorian (e de Boba Fett) mas isso não significa que não possam desfrutar de filmes que deem uma experiência semelhante. Escusado será mencionar qualquer filme de Star Wars nesta lista, afinal, quem acompanha Mandalorian provavelmente já viu todos (ou quase todos) os filmes da saga.

O objetivo desta lista é o de inspirar a navegar por obras cinematográficas para além do universo de Star Wars. O que não deve ser difícil, visto George Lucas nunca ter mantido segredo os filmes que o inspiraram na criação da sua obra. Também Jon Favreau seguiu essas mesmas pisadas para Mandalorian, olhando para clássicos do género Western e para histórias de samurai na criação da sua série.

A seguinte lista é um misto de filmes que Favreau já mencionou terem inspirado Mandalorian diretamente com recomendações mais pessoais de obras que podem dar uma experiência semelhante à da série.

Lone Wolf and Cub: Sword of Vengeance

Um samurai errante anda pelo Japão a vender os seus serviços, trazendo consigo um carrinho de bebe com o seu filho. Soa-vos familiar? Isso é porque esta é a história de Mandalorian se esta se passasse no Japão feudal.

A saga Star Wars sempre se inspirou no cinema japonês, principalmente em filmes de Akira Kurosawa. Para Mandalorian, Jon Favreau continuou a tradição. Mas Lone Wolf tem a particularidade de ter tido origem em manga, tendo originalmente sido publicado entre 1970 e 1976, num total de 28 volumes. Esta obra foi altamente influente, tendo-se tornado uma inspiração forte na obra de Frank Miller (Sin City, Batman: O Cavaleiro das Trevas Regressa e Ronin).

A obra também gerou uma série de seis filmes com o seu próprio cult following. Espada da Vingança é o primeiro destes títulos e independentemente de se ver os filmes restantes, é uma obra com duelos de espada com um valor de entretenimento igual à quantidade de sangue derramado. Apesar de não ter um orçamento Hollywoodesco, tem uma energia que poucos filmes de ação conseguem ter. No seu uso ponderado do som, cria uma tensão que nos faz realmente questionar se os protagonistas vão sobreviver ao final de uma batalha.

Escusado será dizer que se gostarem deste filme, vão adorar as suas sequelas. Enquanto esperam pelo regresso de Mandalorian, Lone Wolf & Cub pode ser um substituto sangrento.

Yojimbo

Um ronin errante chega a uma pequena cidade na qual dois gangues estão a competir pelo poder. Ambos tentam contratar o ronin para lutar ao seu lado, mas este procura uma forma de se aproveitar dos dois lados.

Escolher de entre os vários filmes de Akira Kurosawa é complicado. Tantas das suas obras já serviram de inspiração direta no cinema de Hollywood. A Fortaleza Escondida serviu de base para a narrativa de Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977) e entretanto, a premissa base de Os Sete Samurai até chegou a ser adaptada no quarto episódio da primeira temporada de Mandalorian: . Mas o filme que talvez represente melhor a simplicidade de um episódio da série é Yojimbo.

O protagonista Sanjuro, interpretado por Toshiro Mifune, não se destaca apenas pela sua habilidade na espada, mas também pela sua inteligência e carisma. A cada acontecimento inesperado, Sanjuro adapta-se. Os seus objetivos são nobres, estando a ajudar os cidadãos comuns, mas as suas reações também deixam claro o quanto se está a divertir a enganar criminosos.

Yojimbo tem uma sequela menos conhecida: Sanjuro. Se gostarem deste filme colossal, quase de certeza que vão gostar da sua continuação.

Por Mais uns Dólares

Após o infame El Indio escapar da prisão, dois caçadores de prémios aliam-se para o procurarem e capturarem a sua recompensa. Mas um deles tem uma ligação mais pessoal com El Indio do que está preparado a admitir.

Por Mais Uns Dólares faz parte da trilogia O Homem Sem Nome, protagonizada por Clint Eastwood no papel de um caçador de prémios no velho oeste. O primeiro desta trilogia foi Por Um Punhado de Dólares, um filme que também foi um remake não oficial de um certo filme de Akira Kurosawa: Yojimbo. Ou seja, sem Yojimbo, o icónico anti-herói de Clint Eastwood não teria existido. Por isso é que neste lista recomendamos o segundo filme desta trilogia, cuja premissa já vimos ser usada de diferentes formas em episódios de Mandalorian. Cada filme é uma história que funciona por si só, pois foram pensados como filmes singulares e não como parte de uma trilogia.

Este segundo filme também tem personagens mais fortes que o seu antecessor, com o imprevisível El Indio a dominar as cenas em que aparece e a música grandiosa de Ennio Morricone a fazer com que cada confronto seja incrivelmente tenso.

Os filmes restantes da trilogia foram Por Um Punhado de Dólares e O Bom, O Mau e o Vilão. Este último é considerado não só um dos melhores Westerns de todos os tempos, como também um dos melhores filmes alguma vez feitos. Se ficarem com vontade para mais depois das aventuras do Homem Sem Nome de Por Mais Uns Dólares, têm mais dois grandes filmes que podem espreitar.

Os Sete Magníficos (2016)

Sete pistoleiros com passados e personalidades diferentes juntam-se para proteger uma pequena cidade cuja segurança está a ser ameaçada por um industrialista e o seu exército pago.

Este filme é o remake de Os Sete Magníficos, um clássico do género Western dos anos 60, que por si, já era o remake de um filme de… Akira Kurosawa: Os Sete Samurai (1954). Como mencionado previamente, Mandalorian já pegou na premissa base de Os Sete Samurai, sendo um dos filmes internacionais mais homenageados por Hollywood. Tanto esse, como Os Sete Magníficos original teriam sido boas recomendações. Mas visto esta listar estar já repleta de clássicos, eis uma recomendação mais moderna.

Tal como Mandalorian, este novo filme pega numa história simples e clássica, mas dá-lhe uma roupagem moderna. As suas cenas de ação são mais bombásticas e a sua edição é mais rápida. Trazendo as sensibilidades de Antoine Faqua (Assalto à Casa Branca e The Equalizer – Sem Memória) ao género de Western, este é um filme sem presunções. O seu objetivo é simplesmente o de entreter nas suas interações entre personalidades tão diferentes e cenas dinâmicas de ação.

O género de Western tem decaído em popularidade desde o fim dos anos 60, mas não têm faltado bons filmes do género. Mas a maior partes dessas obras são desconstruções do género Western (Imperdoável). Os Sete Magníficos de Faqua não é esse tipo de filme. É pura e simplesmente um filme de pipoca feito dentro desse género.

Se gostarem desta obra, vale a pena ver Os Sete Samurai e Os Sete Magníficos original. Chegaram a ser feitas três sequelas para o Magníficos original, cuja qualidade foi decrescendo a cada novo filme, mas que não deixam de ter o potencial de entreter quem procura mais histórias com estes personagens.

Imperdoável (1992)

Will Munny é um pistoleiro reformado que aceita um último trabalho com o seu antigo parceiro e um rapaz jovem.

Imperdoável é um filme revisionista do género de Western, protagonizando um Clint Eastwood mais velho no tipo de papel que o tinha tornado famoso. Mas ao contrário da trilogia O Homem Sem Nome, Imperdoável mostra-nos um universo mais realista e cru. O tema de um antigo herói do velho oeste a ver a sua existência ir-se tornando mais irrelevante, à medida que o mundo moderno avança não é um tema novo do género de Western. Mas nunca tinha sido explorado com a frieza de Imperdoável.

Quando Din Djarin envelhecer, é muito provável que fique numa posição muito semelhante à de Will Munny. De facto, pode-se ver alguma inspiração de Imperdoável em Logan (2017), que aplicou esta temática no género de super-heróis.


Cá estão cinco grandes filmes para verem se gostaram de Mandalorian. Mas verdade seja dita, esta lista acabou por recomendar mais do que apenas cinco obras. Se contarmos com o resto da saga Lone Wolf, a sequela de Yojimbo, o resto da trilogia homem sem nome, Os Sete Magníficos original, as suas sequelas e Os Sete Samurai, têm um total de 18 filmes para vos manterem ocupados até ao regresso de Mandalorian.

Author

Um amante de cinema com ambições de se tornar Cinematógrafo. Natural de Faro, Licenciado em Ciências da Comunicação e está de momento a tirar um Mestrado em Estudos Cinematográficos. Cria conteúdo audiovisual para o Cabo Cinético desde 2017 e foi redator para o Espalha-Factos durante 4 anos. Neste momento também é cocriador do podcast Cassete Estragado e do canal de YouTube Lore da Disney com Álvaro Cunha.

Deixa um Comentário!